Notícias

Palestra Especial do Sindilojas Porto Alegre motiva as equipes das lojas para as vendas de final de ano

O final do ano é a principal data para o varejo brasileiro. Durante a véspera do Natal, as lojas ganham movimento e um dos fatores principais para garantir vendas positivas para o setor é a motivação das equipes. Por isso, o Sindilojas Porto Alegre realizou nesta quinta-feira a Palestra Especial “Com seu time, entre em campo sempre para ganhar”. O palestrante foi o CEO da Reserva, Rony Meisler, que contou como construiu uma marca de personalidade forte, preocupada com o cliente, design apurado e que investe em inovação.

Em sua palestra, Rony Meisler fez questão de destacar a importância do encantamento para atrair novos clientes, além de fidelizar aqueles que há tempos acompanham a marca. Segundo ele, quem trabalha para surpreender o consumidor tem por consequência lógica uma venda maior. “A consequência do nosso jeito de vender, levou a gente a ser muito mais um ponto de encontro do que um ponto de venda, A relação dos nossos clientes com as nossas pessoas, os colaboradores, é muito mais próxima do que a média do mercado, e isso é um grande diferencial”, explicou.

Atualmente, o Grupo Reserva soma 65 lojas próprias nas principais capitais do Brasil, oito franquias e tem presença em 1,4 mil multimarcas pelo País. De acordo com Meisler, um dos destaques da Reserva, nesse sentido, é o grande investimento feito com os seus colaboradores: “A maior parte das marcas de moda investem de 5% a 10% em marketing e publicidade. A gente investe 0,96% em marketing e publicidade, mas 3% na comunicação para as nossas pessoas. A gente faz isso porque é legal, mas também porque é inteligente. Quando a gente investe pesado para informar as nossas pessoas sobre os nossos valores, isso é passado para os pontos de venda e o resultado é muito melhor”.

Em seu discurso que contagiou o público, o palestrante ainda destacou a importância da iniciativa privada participar das mudanças da sociedade. “No Brasil, a gente vive a cultura da reclamação. A Reserva está fazendo a nossa parte, e todos nós precisamos fazer a nossa parte. Vamos sair da cultura da reclamação, e entrar na cultura da transformação. O país precisa que a iniciativa privada se envolva para fazer o bem”, finalizou.