Notícias

Upcycling: uma outra forma de pensar

O descarte de subprodutos de processos produtivos é um dos grandes responsáveis pelo aumento de lixo nos aterros sanitários de todos os estados. Pensando justamente em combater esse acúmulo, vem crescendo o número de empresas que aproveitam materiais que seriam descartados e dão um novo uso, colocando em prática os conceitos do upcycling. A partir desse processo, sobras de matérias-primas que seriam rejeitadas pelas fábricas dão origem a novos produtos, sem ter sua estrutura alterada, como acontece na reciclagem. No upcycling, por exemplo, aparas de um casaco de couro podem virar uma carteira. Já na reciclagem, o material usado volta ao processo e é transformado no mesmo produto novo; ou seja, garrafas pet velhas voltam a ser novas garrafas pet.

Oportunidade às sobras

Uma empresa que nasceu dessa percepção foi a gaúcha PP Acessórios (visitada na mais recente edição da Varejo Experience), criada em 2010, pela designer de produto Amanda Py Camargo e pela especialista em Negócios em Moda Petula Silveira após decidirem reaproveitar a grande quantidade de couro que restava do setor calçadista. Movidas pela ideia de uma produção simples, a baixo custo e com um toque de design, as empresárias atualmente dão novo destino a mais de 4 mil metros de sobras de couro por ano na produção de bolsas, carteiras e acessórios. Devido à origem do material e ao corte manual, a exclusividade é uma característica dos produtos. Além disso, os itens se tornam ainda mais especiais com a possibilidade de o próprio cliente poder participar do processo, visitando o ateliê e escolhendo o seu couro, metais e texturas.

A PP Acessórios fica no bairro Floresta, na Capital, na Rua Visconde do Rio Branco, 828.

Salvando vidas e o planeta

Perceber o ambiente a sua volta também foi o que moveu um casal de britânicos a criar a Elvis & Kresse, voltada para o mercado de luxo, que produz bolsas, cintos, malas e carteiras a partir de materiais que seriam descartados, como mangueiras de incêndio, lonas de paraquedas, sacos de chá e de café, banners e couro. A ideia surgiu quando os fundadores visitaram o Corpo de Bombeiros de Londres, em 2005, e descobriram que, após 25 anos de uso, as mangueiras de incêndio eram substituídas por novas e as antigas eram enviadas aos lixões. Para preservar os materiais que haviam salvado tantas vidas, eles passaram a utilizá-los como matéria-prima, dando origem a produtos exclusivos que carregam uma importante história e as marcas particulares do uso pelos bombeiros.

Além do upcycling, a Elvis & Kresse apoia projetos ao redor do mundo doando a metade dos lucros com a venda dos produtos feitos das mangueiras de incêndio para instituições de caridade que ajudam bombeiros aposentados na Inglaterra e que auxiliam comunidades de plantadores de café.

“Nosso conceito de upcycle e reúso é muitas vezes mais forte que o produto em si.” Amanda Py Camargo, da PP Acessórios

Aconchego sustentável

Além do impacto positivo que o upcycling causa no meio ambiente, o uso de materiais com marcas do tempo agrega estilo ao produto final, especialmente quando o destino é a decoração. Foi nisso que apostou a Luigi Bertolli ao utilizar materiais de demolição para a ambientação de suas lojas desde 2007. Na maioria das 42 lojas da marca em dez estados do Brasil, madeira, ferro, grades de portões e diversos outros provenientes de antigas construções compõem a arquitetura e design dos pontos de venda. Além de dar um novo uso uma quantidade enorme de resíduos que virariam lixo, a estratégia ainda ajuda a tornar a loja um ambiente aconchegante, uma extensão da casa do clie

O conteúdo faz parte da Conexão Varejo, publicação mensal do Sindilojas Porto Alegre. Quer ler a revista completa? Clique aqui.